Quando tudo o que se discorda é populismo

Via Ladrões de Bicicletas

Resumindo: no editorial de hoje do Público, assinado por Diogo Queiroz de Andrade, a decisão de Juncker foi má porque a pôs à consideração dos representantes dos povos locais. Foi má porque ficou preso de decisões “populistas” (entenda-se, de acordo com a vontade dos povos). Foi má porque criou um precedente que porá de lado o TTIP. Foi má porque, ao fazer valer a decisão dos povos, a União Europeia deixa de ser um “parceiro credível”…  Então perderam-se tantos meses a negociar – diga-se: sem dar cavaco a ninguém! – e agora só porque os povos não querem, perde-se tudo…?

Esta gentinha devia pensar no que significa desprezar a opinião dos cidadãos e impor o que lhes apetece. Se calhar preferiam um regime como o Chinês ou o Norte-Coreano, lá não há “populismo”.

Leave a Comment

Filed under Desunião Europeia, Guerra de Classes, Mérdia

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *