Transportes Ferróviários

Público.pt

O Conselho de Ministros aprovou, nesta quinta-feira, os decretos-lei que vão permitir avançar com a privatização da CP Carga e da EMEF. Os diplomas terão agora de ser promulgados pela Presidência da República e só depois será criada uma comissão de acompanhamento e aprovado o caderno de encargos que dita as condições de venda das duas empresas públicas.

Depois de os quadros mais qualificados e com maior experiência terem saído graças ao tratamento que têm sofrido ao longo dos anos, o futuro será, sem dúvida, risonho.

Mas a imaginação do governo não pára por aqui

Mas a electrificação das linhas permitirá criar novos serviços e ligações mais rápidas e directas entre algumas cidades. Assim o queira a CP, que praticamente deixará de ter dores de cabeça com uma frota diesel envelhecida e passará a poder gerir a sua operação com comboios eléctricos em todas as linhas.

Como se a frota eléctrica fosse nova ou esteja em grandes condições… Dá jeito saber do que se fala.

A electrificação da linha do Oeste (135 milhões de euros) poderá pôr esta região na geografia ferroviária nacional se a CP fizer comboios directos de Lisboa a Coimbra e Porto, servindo Torres Vedras, Caldas da Rainha, Marinha Grande e Leiria.

Com que comboios?

Mas onde passam comboios de mercadorias também passam composições de passageiros e, tecnicamente, nada impedirá que a CP prolongue o seu serviço Intercidades de Évora até Elvas e Badajoz.

Nem merece comentários.

Tudo isto depende da capacidade de inovar da CP aproveitando as “novas” infra-estruturas.

Com o dinheiro que nunca existiu para a CP? Não me digam, vão ser os privados que o vão fazer, coisa que não acontece à um século.

A empresa inverteu recentemente a política de divisão em unidades de negócios, voltando a integrar serviços que antes eram quase empresas autónomas.

A culpa foi, certamente, da falta de productividade dos funcionários púbicos.

 

2 Comments

Filed under Uncategorized

2 Responses to Transportes Ferróviários

  1. Maria

    Com que comboios?
    Com os que vão alugar aos espanhóis. O governo precisa de tentar ganhar o máximo de €€ possível no curto prazo para dizerem que deixaram o país melhor do que o que estava. E para poderem aumentar o leque de ofertas de emprego que vão receber quando forem expulsos do governo.

    Já agora, funcionário púbicos? Isso foi propositado? =D

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *