O radicalismo espalha-se

Primeiro, é Manuela Ferreira Leite:

As políticas de austeridade que foram impostas a determinado tipo de países foram absolutamente cegas e sem permitir qualquer espécie de alternativa, isto é, houve uma imposição de uma ortodoxia verdadeiramente fanática sem nenhuma consideração de natureza social.

(…)

Este risco que o povo grego correu é um sinal do desespero. É uma grande vitória da democracia.

Depois, são os alemães:

“Antes de meterem a mão nos bolsos dos alemães, os gregos deviam pensar nos seus próprios milionários”, disse o deputado Kurt-Georg Wellman ao jornal “Bild”.

Leave a Comment

Filed under Austeridade

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *