Monthly Archives: Março 2015

Novo template para acórdãos jurídicos

Ergo res sunt

“Aos (data) reunido o colectivo (expressão válida mesmo que se trate de apenas um Juiz) e depois de considerar os fatos, sempre contingentes e imprevisíveis, mas muito caros), usados pelo indiciado, e ponderadas todas as circunstâncias que conformam o caso em apreço, o do tipo que nos retirou uma série de privilégios a que estávamos habituados, considerou e deliberou o seguinte:

– Este colectivo anda “há muitos anos a virar frangos” e não se deixa iludir com conversas da treta do tipo das alegações do indiciado.

– De resto, como é do conhecimento comum, “quem muito fala pouco acerta” e este indiciado fala que se farta, pelo que deve ser culpado.

– Em “abril, águas mil”, vem reiterar o ar de culpado do indiciado, pelo que deve continuar guardado.

Leave a Comment

Filed under Uncategorized

Isto sim, é o tradicional espírito académico

Via Público

Os estudantes apresentaram-se esta terça-feira de mãos atadas à frente do edifício da Associação Académica de Coimbra (AAC), coberto de panos negros. Assinalando o Dia Nacional do Estudante, os alunos realizaram num protesto contra os cortes no Ensino Superior.

(…)

(A) AAC rejeitou um convite (…) para um almoço esta terça-feira com o primeiro-ministro, Passos Coelho, em Braga, com representantes de várias associações académicas nacionais.

“É com orgulho que recusamos o almoço”, frisou o presidente da AAC, referindo, numa alusão à presença da maioria das associações de estudantes no almoço com o primeiro-ministro, que a associação que lidera “nunca vai ficar sozinha, enquanto tiver os 30 mil estudantes de Coimbra a lutarem juntos”. Sobre futuras acções de protesto, Bruno Matias afirmou que a AAC irá “à rua, sempre que for necessário”.

Leave a Comment

Filed under Uncategorized

Para que ninguém esqueça o Jacinto Capelo Rego

Leave a Comment

Filed under Corrupção, Negócios à Portuguesa

Invés de um presidente, temos isto

Via Público

Portugal oferece, como sabem, uma localização competitiva para os investimentos. Tem uma mão-de-obra e quadros altamente qualificados e flexíveis num mercado concorrencial. Dispõe de infra-estruturas físicas e tecnológicas de qualidade – estradas, aeroportos e portos marítimos

e polícia, e bombeiros, e escolas, e estações de combustível, e shoppings, e muita outra coisa.

Governantes à altura, é que nem vê-los.

Leave a Comment

Filed under Desiconomia

FMI lá admite o óbvio

Resumo: a asteridade só serviu para salvar os bancos Alemães e Franceses. A dívida Grega é impagável e deve ser reestruturada. A troika não se pode portar como se as eleições não tivessem acontecido. As metas Gregas devem ser substancialmente reduzidas.

Agora pergunto, eram necessários 5 anos de miséria para isto?

Leave a Comment

Filed under "Liberais" a funcionar, Austeridade, Desiconomia, Guerra de Classes

Mais um feito da austeridade

Imagino que seja mais um de que estejam muito orgulhosos

Mulheres ganham menos 13% do que os homens. Entre 2008 e 2013, Portugal registou o maior aumento da União Europeia na disparidade salarial entre homens e mulheres, de 3,8 pontos, para os 13%, segundo o Eurostat.

Leave a Comment

Filed under "Liberais" a funcionar

Uma (rara) altura para concordar com o Primeiro-Mentiroso

Há muitos que deviam pagar os seus impostos e não pagam. Porquê? Porque não declaram as suas actividades. Ora nós temos obrigação de corrigir estas injustiças. Não há nada mais social-democrata do que isso, porque aquilo que devia orientar um princípio de social-democracia é a igualdade de oportunidades. Não é o privilégio, mesmo o pequeno privilégio. Se há quem se ponha de fora das suas obrigações para com a sociedade, sendo muito ou pouco, esse alguém está a ser um ónus importante para todos os outros que têm um fardo maior.

Já quanto à mentira

Eu pertenço a uma raça de homens que gosta mesmo quando não é o próprio a causa do endividamento de honrar os compromissos do país, de pagar aquilo que deve, mesmo que por essa razão tenha de solicitar aos portugueses um sacrifício ainda maior.

vindo de alguém que disse

apenas que procurem a força para, quando olharem os vossos filhos e netos, o façam não com pesar mas com o orgulho de quem sabe que os sacrifícios que fazemos hoje, as difíceis decisões que estamos a tomar, fazemo-lo para que os nossos filhos tenham no futuro um Natal melhor.

além de

O facto de vermos que a justiça atua e que, portanto, independentemente da posição que cada um ocupe na hierarquia do Estado até, que as polícias não deixam de fazer aquilo que devem, não deixam de investigar como devem, e o Ministério Público não deixa de preparar a defesa pública como deve, é um motivo de satisfação

É bom lembrar que

A partir de agora as dívidas à Segurança Social superiores a 3500 euros podem ser consideradas fraude e resultar numa pena de prisão até três anos ou multa até 180 mil euros, no caso de pessoas singulares, ou de até 3,6 milhões de euros, no caso das empresas

Leave a Comment

Filed under "Liberais" a funcionar, Guerra de Classes, Hipocrisias